Languages

  • Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura
  • A agricultura, prioridade para o desenvolvimento sustentável das Américas

Agroecologia e comércio justo na CSA da Florestta

Agroecologia e comércio justo na CSA da Florestta

A equipe do IICA Brasil visitou, no último mês, a CSA da Florestta, que fica em Ponte Alta Norte, Gama (DF). CSA é a sigla para Comunidade que Sustenta a Agricultura...

A equipe do IICA Brasil visitou, no último mês, a CSA da Florestta, que fica em Ponte Alta Norte, Gama (DF). CSA é a sigla para Comunidade que Sustenta a Agricultura, um modelo de agricultura solidária em que o agricultor deixa de vender seus produtos através de intermediários e conta com a participação de membros consumidores para a organização e o financiamento de sua produção, colaborando para o desenvolvimento sustentável da região e estimulando o comércio justo.

Os responsáveis pela CSA da Florestta são Aleixo Leitão Junior e Gisely Coité, que iniciaram as atividades de horticultura em 2015 e hoje atendem 38 famílias. A CSA é baseada na economia solidária e participativa e, nesse modelo, os consumidores são chamados de coagricultores.

Antes de começarem a CSA da Florestta, que tem 1,5 ha, Gisely trabalhava como advogada e Aleixo como engenheiro. Passaram a plantar alimentos orgânicos e de forma agroecológica por uma demanda da alimentação saudável para seus filhos. “A ideia é nos conectarmos com a realidade local, cuidar da terra e da água, também preocupados com a questão ambiental, em um momento de crise hídrica”, define Gisely.

Na CSA, há uma relação de confiança entre os agricultores e coagricultores, em que é estabelecido um compromisso de compra da produção, que pode ser de seis meses até um ano. A cesta, que é semanal, tem no mínimo nove itens, e os produtos respeitam a sazonalidade.

Também não há desperdício na CSA: sem os atravessadores, não há risco de não escoamento da produção. Se houver excedente, este pode ser trocado entre os membros, ou ainda doado. No caso da CSA da Florestta, para evitar desperdício eles se programam desde a encomenda de mudas no viveiro. “Vamos sair do ciclo da escassez e entrar no ciclo da abundância”, defende Gisely.

Além disso, na CSA da Florestta Aleixo e Gisely buscam também resgatar a memória alimentar humana, cultivando plantas tradicionais e/ou esquecidas, como as Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs). Um exemplo é a beldroega, planta que pode substituir o peixe por ser rica em ômega 3 e 6.

Para entrar em contato com a CSA da Florestta, envie um e-mail para csadaflorestta@gmail.com

Eles também possuem página no Facebook, basta procurar por “CSA da Florestta”.

Veja a galeria de imagens da visita técnica:

Ir Arriba