Ir Arriba

Dessalinização de água para irrigação agrícola: uma oportunidade perante a seca no Chile

Cultivo de palta en Quillota, Valparaíso, de la productora familiar Maritza Leiva, quien busca alternativas para seguir produciendo pese a la escasez de agua por las sequías.
Cultivo de abacate em Quillota, Valparaíso, pela família do produtor Maritza Leiva, que busca alternativas para continuar produzindo apesar da falta de água devido às secas.

San José, 7 de setembro de 2020 (IICA). Diante dos desafios das novas fontes de água para a agricultura e sua sustentabilidade futura, a dessalinização e o reaproveitamento da água para diversos fins, incluindo a agricultura, surge como uma alternativa a ser considerada e desenvolvida, principalmente em áreas críticas devido à baixa disponibilidade hídrica atual e futura.

No Chile, a região de Valparaíso sofre uma seca persistente faz 12 anos e, em julho de 2020, apresentava um déficit de chuvas de 28%. O panorama é ainda pior do que o atual: a expectativa é de que até o final do ano esse percentual suba para 35%, justamente na área que concentra mais da metade da produção nacional de abacate do país, segundo dados do último censo agrícola realizado pelo Ministério da Agricultura (MINAGRI) do Chile.

Fernando Santa Cruz está no mundo do abacate há mais de 40 anos na cidade de La Cruz, capital desta fruta no Chile. Como produtor varejista, Fernando está agora entre os produtores de médio porte, exportando a variedade Hass para a Europa.

“A gente se acostumou a ter água, aí uns cresceram com poços, outros colocando técnicas, mas a seca nos chama a pensar além , no manejo sustentável da bacia, este ano tivemos uma safra de bom calibre devido à pouca água que caiu, mas devemos pensar no futuro ", disse ele.

Fernando diz ainda que como produtores têm tido anos muito difíceis por causa das secas e, apesar disso, a área plantada continua a crescer. Portanto, a necessidade de água e o aumento da demanda global pelo produto exigem visões e tecnologias de longo prazo que permitam aumentar a disponibilidade de recursos hídricos para a agricultura. Um deles é a dessalinização da água do mar.

Na região, eles estão enfrentando esses desafios de várias maneiras, entre elas a tentativa de regularizar os direitos da água, irrigação técnica e manejo fitossanitário.

O departamento de inovação do MINAGRI, o Instituto de Pesquisa Agropecuária (INIA), subsidiária de La Cruz, vem estudando o assunto e reunindo experiências existentes tanto no Chile como fora do país, “para colaborar a partir de nossas próprias competências, contribuindo com um embasamento técnico-científico que permite gerar um cenário que viabilize essa opção de apoio à futura produção de alimentos ”, comenta o Diretor Regional Patricio Fuenzalida.

Nesse contexto, o INIA e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), aliado internacional com experiências específicas no desenvolvimento integral das bacias hidrológicas do Paraguai e do Brasil, realizarão no dia 10 de setembro um seminário que tratará do tema na perspectiva da segurança da água. O seminário também abordará as oportunidades específicas que surgem das experiências com a agricultura familiar em um contexto mais sustentável.

“A segurança hídrica do Chile e da América é um desafio que deve considerar soluções abrangentes. Assim, o Programa Água Doce (PAD), desenvolvido no Brasil pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) com a participação do IICA, atende mais de 200 mil pessoas instalando unidades de dessalinização em comunidades rurais remotas do semiárido, uma experiência escalável a áreas semelhantes da América”, disse Hernán Chiriboga, Representante do IICA no Chile.

O seminário “Dessalinização como fonte de irrigação agrícola Experiências e Perspectivas no Chile e na América ”compartilharão os seguintes tópicos, apontando a dessalinização como alternativa para a segurança hídrica na América Latina:

"Perspectivas de dessalinização para a agricultura no Chile", de Patrício Fuenzalida, Engenheira Florestal Diretor INIA LA Cruz.

"Demanda e qualidade da água para a agricultura", de Francisco Meza A. Msc. Engenheiro Agrônomo. INIA.

“Dessalinização e reuso de água, duas alternativas viáveis para a agricultura na América Latina” por Ivo Radic, Representante para o Chile da ALADyR (Associação Latino-Americana de Dessalinização e Reuso). Diretor VIGA Flow S.A.

“A experiência do Programa Água Doce no Brasil. Unidades de dessalinização por osmose reversa, uma alternativa de baixo custo ”, Dr. Gertjan B. Beekman, Coordenador da Área de Recursos Naturais e Adaptação às Mudanças Climáticas e Romélia Souza, Especialista em Projetos de Gestão dos Recursos Naturais e Adaptação às Mudanças Climáticas do IICA Brasil.

O seminário é dirigido a produtores em geral da região de Valparaíso, extensionistas de língua espanhola e especialistas em recursos hídricos, tomadores de decisão e principalmente agricultores familiares, como Maritza Leiva, produtora da agricultura familiar de Quillota, convidada a este evento e ansioso para fazer contato com experiências internacionais e informações sobre a viabilidade técnica, logística e econômica desses programas, que já foram implementados em outros países com sucesso e participação.

“Acho muito interessante poder aprender com essas questões, já que o problema da falta de chuvas é uma realidade e temos que pensar mais, embora muitos de nós não dependamos do canal, pois temos conseguido avançar na irrigação com tecnologia, na implantação Abacate Clonal Hass e renovando aos poucos em 12 anos de gestão, trabalho e esforço, espero continuar aprendendo com o IICA para continuar produzindo alimentos saudáveis por muito tempo ”, disse Leiva.

Para participar do seminário no dia 10 de setembro, é necessário fazer a inscrição no seguinte link:

https://iica.zoom.us/j/98956859608?pwd=M1VyMW0zb3FPMkNpR0QrSXRaTmY0Zz09

Mais informação:
Representação do IICA no Chile. 
roberto.castro.consultor@iica.int