Ir Arriba

O setor lácteo nas Américas é fundamental para a segurança alimentar da região, afirmam especialistas convocados pelo IICA

El diálogo estuvo encabezado por Vilsack, el presidente del Consejo de la GDP y de los Productores Lácteos de América, Rick Smith; y el Director General del IICA, Manuel Otero.
O diálogo foi liderado por Tom Vilsack, ex-secretário de Agricultura dos Estados Unidos e CEO da USDEC, pelo Presidente do Conselho da GDP e dos Produtores de Laticínios da América, Rick Smith; e pelo o Diretor-Geral do IICA, Manuel Otero.

San José, 31 de agosto, 2020 (IICA). Os produtos lácteos são essenciais para a alimentação mundial por seus benefícios para a saúde das pessoas, fato evidenciado pela atual pandemia de covid-19 e que torna ainda mais necessário que os agentes do setor trabalhem juntos para fortalecer sua sustentabilidade e criar um sistema alimentar mais resiliente.

Com esse objetivo, já há um longo caminho no hemisfério, segundo Tom Vilsack, ex-secretário de Agricultura dos Estados Unidos e CEO do Conselho de Exportação de Produtos Lácteos desse país (USDEC, sigla em inglês): “Nos últimos 15 anos, para produzir um galão de leite nos Estados Unidos estamos usando 30% menos água, 20% menos terra e reduzimos nossas emissões em 19% ”, informou.

Em um webinar organizado pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), a Plataforma Global de Produtos Lácteos (GDP, sigla em inglês) e o USDEC, foi analisado o papel fundamental dos laticínios no desenvolvimento socioeconômico mundial e os avanços rumo a uma produção mais responsável e sustentável.

O diálogo foi liderado por Vilsack, Presidente do Conselho da GDP, pelo presidente dos Produtores de Laticínios da América, Rick Smith; e pelo Diretor-Geral do IICA, Manuel Otero.

“Esta iniciativa é extremamente importante para explicar ao mundo o que a indústria de laticínios está fazendo para alimentar as pessoas, em termos de uma boa nutrição, e para criar oportunidades econômicas”, disse Vilsack.

A indústria de laticínios no mundo é composta por 1 bilhão de pessoas. “600 milhões estão em fazendas de gado leiteiro e outros 400 milhões na indústria, seja na coleta do leite ou em qualquer outra atividade associada”, comentou Smith.

“As pessoas redescobriram os benefícios nutricionais, a acessibilidade e o excelente sabor dos laticínios. Ademais, seguimos melhorando a maneira como produzimos de forma ambientalmente correta e responsável e trabalhamos duro contra as mudanças climáticas. Fizemos grandes avanços na redução de nossas emissões globais de gases de efeito estufa, embora ainda haja muito a ser feito”, acrescentou.

Contribuições substanciais

No seminário, foi detalhado que os produtos lácteos contêm muitos nutrientes pouco consumidos e que são uma fonte de proteína da mais alta qualidade na dieta humana.

Foi apontado que seu consumo está associado a um menor risco de doenças como diabetes tipo 2 e hipertensão, com uma melhor densidade mineral óssea em crianças e adolescentes e com benefícios cardiovasculares e musculares, além de melhorar a função imunológica.

Em nível socioeconômico, constatou-se que cerca de 800 milhões de pessoas que vivem em áreas rurais dependem da criação de gado e que a pecuária corresponde a 46% do PIB agrícola da América Latina.

Outros efeitos positivos da indústria de laticínios estão ligados à redução da pobreza no nível familiar e comunitário, ao desenvolvimento socioeconômico e à criação de empregos.

“O IICA está colaborando para melhorar o conhecimento e a compreensão global do importante papel dos produtos lácteos para o desenvolvimento econômico, social, nutricional e ambiental das Américas e do mundo. São vitais para a nutrição humana e a segurança econômica”, destacou o Diretor-Geral do organismo hemisférico especializado em agro e ruralidade, Manuel Otero.

Ele acrescentou que regulamentações baseadas na ciência são fundamentais para apoiar a saúde e segurança do consumidor, bem como políticas que permitam melhorias tecnológicas enquanto preservam a integridade dos produtos lácteos.

O que foi abordado no webinar será compilado em uma publicação do IICA que será apresentada na Cúpula sobre os Sistemas Alimentares, planejada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para sensibilizar a opinião pública e estabelecer compromissos que transformem esses sistemas, com o fim de erradicar a fome e reduzir a incidência de doenças relacionadas à alimentação deficiente.

Também intervieram no seminário web – por parte da GDP - Mitch Kanter, Diretor Técnico; Brian Lindsay, líder do Setor de Sustentabilidade e Secretário do Marco para a Sustentabilidade dos Produtos Lácteos; e Ernesto Reyes, líder do Setor de Desenvolvimento.

Esta lista foi completada por Frank Mitloehner, professor da Universidade da Califórnia, Davis; Emily Stepp, Vice-Presidente de Farmers Assuring Responsible Management (FARM); e Jamie Jonker, Vice-presidente de Sustentabilidade e Assuntos Científicos da National Milk Producers Federation (NMPF).

O evento, as apresentações e mais informações sobre o webinar estão disponíveis aquí.

Mais informação:
Horrys Friaca, especialista internacional do Programa IICA de Sanidade Agropecuária e Inocuidade dos Alimentos (SAIA). 
horrys.friaca@iica.int