Ir Arriba

Bayer, IICA e ABRAS realizam bate-papo online sobre segurança em alimentos e boas práticas agrícolas

​Brasília, 14 de janeiro de 2020 (IICA). A Bayer Jovem, em parceria com Instituto Interamericano para a Cooperação para a Agricultura (IICA) e a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), realizou nesta terça-feira (14/1) uma transmissão vivo (live) em sua página do Facebook, retransmitida pela página do IICA Brasil, com o tema “Alimentos Seguros e Boas Práticas na Agricultura’. 

Especialistas debatem sobre a produção, comercialização e qualidade dos alimentos que chegam até a mesa dos consumidores brasileiros
Especialistas debatem sobre a produção, comercialização e qualidade dos alimentos que chegam até a mesa dos consumidores brasileiros.

Conduzida pela gerente de Relacionamentos com a Cadeia de Alimentos para a América Latina da Bayer, Cristiane Lourenço, a ação contou com a participação do gestor em Projetos de Cooperação Internacional do IICA Brasil, Christian Fischer; o superintendente da ABRAS, Marcio Milan; e do coordenador de Serviços e Cadeia de Valor da Bayer Brasil, Igor Oliveira.

Durante o bate-papo, os participantes destacaram que os alimentos que chegam até a mesa dos brasileiros estão cada vez mais seguros.

A afirmação foi dada com base nos resultados do último PARA (Programa de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos, como frutas, legumes e verduras), realizado pela Anvisa em conjunto com as Vigilâncias Sanitárias dos estados e municípios, além dos laboratórios centrais de saúde pública (Lacens).

Das amostras de 14 alimentos de origem vegetal (frutas, legumes e verduras) representativos da dieta da população brasileira coletadas pela agência, 77% obtiveram resultados com conformidade positivos com relação ao limite máximo de resíduos (LMR).

Desses, 49% não apresentaram resíduos dentre 270 defensivos pesquisados e outros 28% que ficaram dentro de parâmetros estabelecidos, considerando o LMR aprovado pela Anvisa.

Os 14 tipos de alimentos analisados foram: abacaxi, alface, arroz, alho, batata-doce, beterraba, cenoura, chuchu, goiaba, laranja, manga, pimentão, tomate e uva. 

Criado em 2001 pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitário, coordenado pela Anvisa, o PARA tem como objetivo de avaliar continuamente os níveis de resíduos de agrotóxicos nos alimentos de origem vegetal que chegam à mesa do consumidor.

“O objetivo desse programa, que é feito tudo pela Anvisa, juntamente com as vigilâncias estaduais e municipais, é identificar os níveis (de resíduos) desses alimentos, para garantir a qualidade e segurança que o consumidor, ao adquirir esses produtos nos supermercados, está levando para sua saúde”, explicou Marcio Milian.

Educação
Os especialistas também destacaram a importância da educação e da informação, tanto para a cadeia de produção alimentar quanto para os distribuidores e os consumidores desses produtos.

“Existe toda uma preocupação com a educação, a educação do produtor e a educação do supermercado para garantir que o alimento chegue seguro na mesa do consumidor”, apontou Milan. 

Um instrumento de apoio à informação de qualidade tanto para o consumidor quanto para o produtor apontado no evento foi o BayG.A.P., curso online elaborado em parceria do IICA com a Bayer.

Disponível em três idiomas (inglês, português e espanhol), BayG.A.P. é um treinamento on-line e gratuito para aconselhamento e apoio aos produtores no processo de adequação das boas práticas agrícolas, que leva conhecimento sobre os principais temas exigidos pelo mercado comprador de frutas e vegetais.

O especialista Christian Fischer disse acreditar que a informação é importante para todos. “Uma boa alimentação é possível através de informação. Toda a cadeia tem de se informar, se capacitar. Dentro do elo da cadeia também está o consumidor final que também tem a obrigação de ir atrás da informação. Acreditamos que, o BayG.A.P, por utilizar um vocabulário muito simples, pode ser usado, inclusive, pelo consumidor final”, afirmou o especialista do IICA.

Fischer destaca que a partir da aplicação das boas práticas agrícolas, como o manejo integrado de pragas e a utilização de tecnologias de aplicação, pode-se eliminar ou até reduzir, de forma significativa, a quantidade de resíduos e contaminantes nos alimentos. "A adoção, por parte do produtor, dessas práticas irão contribuir para melhorar os resultados já apresentados pelo último relatório PARA, apresentado pela Anvisa", completou.  

Ao final da transmissão, Cristiane Lourenço fez um alerta aos consumidores com relação às fake news. De acordo com ela, a disseminação de notícias falsas pode induzi-los a erros. Para evitar esses problemas, orienta que as pessoas busquem informações em sites confiáveis.

“Busquem se informar. Busquem conhecer o processo da cadeia produtiva. Eu acho que, a partir do momento que o consumidor sabe o que está acontecendo por trás, ele valoriza mais aquele produto que está comprando. Então, busque fontes confiáveis”, sugeriu.

Sobre a Bayer Jovens
O Bayer Jovens é um projeto, desenvolvido em parceria com a JeffreyGroup, que inclui o website e os canais no Facebook e no Twitter, que disponibilizam uma ampla oferta de conteúdos relacionados a ciência, tecnologia, saúde e meio ambiente, entre outros temas. Tem como principal objetivo aproximar o Grupo Bayer do público jovem no Brasil.

Sobre o IICA
É o organismo internacional especializado em agricultura do Sistema Interamericano. Sua missão é estimular, promover e apoiar os esforços de seus 34 Estados-membros para alcançar o desenvolvimento agrícola e o bem-estar rural, por meio da cooperação técnica internacional de excelência. Está presente no Brasil desde 1964, atuando em projetos com governos municipais, estaduais e federal. 

 Sobre a ABRAS
A Associação Brasileira de Supermercados é uma entidade com o objetivo de representar, defender, integrar, impulsionar e desenvolver o setor supermercadista no País. Atua em rede, de forma participativa, com as 27 Associações Estaduais de Supermercados afiliadas.

Mais informações:
Assessoria de Comunicação IICA Brasil 
iicabr.informa@iica.int